REVISTA FESTAS INFANTIS Nº31 - nov./06

 

CARTA AO LEITOR

 

Celebrar, sem dúvida nenhuma, é importante. Principalmente cada ano dos nossos filhos. Encontrar amigos e parentes e ver as crianças brincarem sem parar dá um prazer muito grande para os pais. Os buffets infantis têm colocado brinquedos que estimulam a participação de adultos junto com os pequenos e contratado monitores treinados para garantir que todos brinquem na festa. Veja a animação deles curtindo cada momento com as crianças.

Veja também as festas caprichadas que comemoram batizados e, muitas vezes, junto com aniversários. São mesas, bolos, doces, lembranças e convites personalizados para festejar a bênção do batismo e do nascimento.

E se a festa é mais informal, com a turma da escola, alguns buffets têm mudado um pouco o cardápio e acrescentado um caprichado café da manhã recheado de guloseimas ao gosto da criançada. E, depois de brincar toda a manhã, eles vão para a escola de ônibus em clima de farra total.

Para a folia ser completa, uma novidade: oficinas comestíveis na festa. As crianças fazem bolos, chocolates e até pizzas e comem lá mesmo além de oferecerem para os pais.

Outra garantia de alegria são as parcerias com recreadores. Alguns buffets contrataram empresas especializadas para animar ainda mais a festa. E o melhor é que o serviço está incluído no pacote.

 

Aproveite e curta cada momento!

 

Zuleica Russi

 

 

PAIS E FILHOS NA BRINCADEIRA

 

U m universo mágico e divertido aguarda os adultos fora da Sala dos Pais dos buffets infantis. Optar por uma festa que envolva grandes e pequenos na brincadeira pode ser uma boa para quem ainda não perdeu seu lado criança. Para ajudar a desinibir aqueles que já não lembram mais como brincar, monitores estimulam a participação nas atividades infantis. Eles atraem os maiores com muita animação, música e até gincanas.

Na festa de quatro anos de Gustavo, no Mega Circus, em Moema, os pais e convidados também se divertiram pra valer! “Como já conhecíamos bem todos os pais dos colegas dele da escola, não houve timidez”, conta a mãe Isaceles Vidal Lima. “O próprio local e a amizade entre nós criaram condições para todo mundo brincar junto”, completa.

O tema escolhido por Gustavo foi Super-heróis e a única atração contratada fora das atividades oferecidas pelo próprio buffet foi o Mágico Antony, que animou adultos e crianças acompanhado do seu jacaré Joca. “Na hora do show, todo mundo foi ver”, lembra Isa.

De acordo com a mãe, dos adultos convidados alguns são menos extrovertidos, mas ainda assim a integração é sempre muito boa em todos os eventos. A preocupação primeira de Isa foi receber a todos, agradecer a presença e, sobretudo, não deixar ninguém deslocado. “Numa festa, pais e filhos podem compartilhar bons momentos porque nessa hora não existe preocupação”, explica.

Pensando nisso, os proprietários do Mega Circus se preocuparam em disponibilizar no salão brinquedos que servem tanto para adultos quanto para crianças. “Setenta por cento deles dá a chance dos pais participarem”, garantem os diretores. La Bamba, Tombo Legal, Crazy Fall, mini-quadra, simuladores, games. Tudo é sucesso no Mega Circus. “Até na área baby a mãe pode entrar e brincar com os filhos”, completam.

Na festa de Gustavo, o tema foi Super-heróis, o que garantiu a ele momentos de Senhor Incrível, vestindo uma fantasia oferecida no próprio camarim do buffet. A comemoração ocorreu das 18h às 22h, e, além do coquetel, foram servidos massa, cerveja e uísque.

Dos 50 adultos e das 30 crianças convidadas, ninguém ficou parado. “Até minha mãe, de 68 anos, queria brincar no La Bamba!”, lembra Isa. Como o brinquedo é grande e cabe bastante gente junta – 13 pessoas – a farra maior ocorre lá.

Também os monitores são treinados e estimulam a participação dos adultos, mas gincana só acontece se for a vontade dos pais. “Tem quem não se sente à vontade. Nos adequamos para atender cada cliente de forma personalizada”, dizem os diretores. Mesmo assim, é difícil o adulto não se contagiar com tanta alegria. “Os monitores cantam, batem palma, convidam para a brincadeira”, explicam.

Outro espaço adorado pelos pais é o de jogos. “Sempre tinha um pai brincado no autorama, nos simuladores... saía um entrava outro”, lembra Isa. As mães preferiram experimentar o camarim, onde faziam penteados e pinturas no rosto e nas mãos.

“Tudo aconteceu espontaneamente, pois o próprio local e a amizade criaram condições para tanta interação”, garante Isa, que coleciona comentários positivos sobre a festa. Quanto ao Gustavo, parece não ter se surpreendido com a participação de gente grande nos brinquedos dos pequenos. “Ele é filho único e está acostumado a brincar com adulto. O máximo que dizia era: que legal, fulano tá no La Bamba!”, conta orgulhosa.

Ana Paula Alves da Silva, mãe de Giovana, cinco anos, já havia ido em festas no The Planets, no Jardins, mas nunca havia feito uma festa lá antes. “Foi uma surpresa! Visitei vários, mas quando entrei no The Planets junto com a Giovana adorei a decoração”, lembra. Optou por comemorar o último aniversário da filha no buffet e não se arrependeu. “Tudo é de primeira e muito bem servido”, diz. “Sem falar na alegria contagiante dos monitores”, completa.

Na hora da recreação, os pais são convidados a participar das brincadeiras. “Eles gostam mais dos eletrônicos, simulador de carro de corrida, Air Game, Play Gol, vídeo games”, conta Márcia Aun, sócia-proprietária do buffet. “Meu marido superparticipou jogando com as crianças, principalmente no Play Gol”, fala Ana Paula. “Todos os jogos do buffet devem ser jogados em dupla e assim ninguém fica isolado”, explica Márcia.

Já as mães gostam do camarim, do Barco Viking e do Brinquedão. “Elas também adoram a cama elástica e a piscina de bolinhas, que mede três metros quadrados”, diz Márcia. “Sempre procuro participar. Achamos que todo mundo tem um fundinho de criança”, concorda Ana Paula. Aos 75 anos, até a avó andou pela primeira vez de Barco Vicking! "E adorou, elogiou muito”, completa.

A mãe dedicou atenção especial para receber os adultos e deixar todos confortáveis. De acordo com Ana Paula, dos 55 adultos convidados, alguns brincaram pela primeira vez mesmo estando um pouco inibidos no começo da festa. “As 40 crianças nem se fale!”, brinca.

Barbie foi o tema da festa, com a decoração da mesa de bolo da Baby’s Decoração. Giovana vestiu o tempo todo uma roupa de princesa oferecida pelo buffet. O parabéns especial teve direito a luzes, papel picado e bolinha de sabão. “Até os adultos brincaram de pegar as bolinhas no ar”, lembra a mãe.

As brincadeiras entre pais e filhos estimuladas durante a festa enriquece a atmosfera e aquece as relações. “É importante o adulto estar sempre em contato com a criança. Como mãe, sou muito presente e sei que minha filha curte muito isso”, revela Ana Paula.

No final da festa, Giovana demonstrou sua alegria. “Mamãe estou muito feliz. Muito obrigada!”, conta a mãe emocionada.

Desde a primeira festa de aniversário do primogênito Victor, 11 anos, Caren Belluco contrata os serviços do Guimi, localizado na Aclimação. Para comemorar os cinco aninhos da Laura, a mãe não hesitou e apostou novamente no trabalho do buffet, com o tema da Cinderela e recepção para 50 pessoas. “Meus convidados já sabem que a festa dos meus filhos é no Guimi e as aguardam todos os anos como um acontecimento”, garante Caren.

Tanta expectativa pode ser explicada também porque os adultos podem brincar com as crianças no Monorail, no Elevador, no Barco Giratório e no La Bamba. Inclusive no Guimi, esse último brinquedo faz grande sucesso entre os maiores. “É superanimado, tem música e os monitores fazem brincadeiras”, conta Guiomar Braga, sócia-proprietária com Elaine Trocoli Braga.

De acordo com Guiomar, nas festas de um ano vão muitos adultos que usam os brinquedos e que também valorizam a alimentação. Conforme aumenta a idade das crianças, diminui o número de adultos presentes. Mesmo assim, eles participam.

Guiomar diz ainda que, independente da idade das crianças, os pais participam das brincadeiras na maioria das festas. “Acabou a história do buffet ser só para criança”, deduz. Também a arquitetura da casa ajuda. A Sala dos Pais, por exemplo, ocupa um andar inteiro, onde ficam brinquedos como Play Gol, Mesa de Snooker profissional, Dardo Eletrônico e discoteca.

Para um momento de diversão tranqüila – preferência das mães -, o Monorail faz um passeio aéreo pelo buffet e apresenta um cenário único, o Parque da Aclimação, recentemente tombado como Patrimônio Histórico.

“Os convidados relatam que voltam a ser criança a ponto de se sentirem não pais, mas amiguinhos dos filhos”, conta Caren. Este ano, a mãe não contratou nenhum serviço extra, mas lembra da festa anterior, quando solicitou o Camarim. “Adultos, inclusive os idosos, saíram de lá com os cabelos pintados. Foi muito divertido!”, declara.

“Como a vida é corrida, o pai aproveita o momento para se aproximar do filho, que por vezes passa a semana com a babá”, arrisca Guiomar. Mesmo assim, a política do buffet é respeitar a vontade do cliente e não insistir na participação. “O importante é sentir o que fará o cliente feliz”, conclui.

No Mega Fábrica, a brincadeira entre adultos e crianças é bastante comum. Das oito unidades do buffet, Wellinton Barbosa de Lacerda optou pela unidade Vila Mariana para comemorar o aniversário do filho Arthur, dois anos. Para ele participar é importante. “Quando os pais estão junto, as crianças se sentem mais seguras”, garante.

Entre os brinquedos preferidos dos adultos, a Arena de Laser é um dos mais emocionantes. Dos mais tranqüilos, mas divertidos estão o Monorail, a Xícara Maluca e o Brinquedão. O Mega Fábrica também tem o Cinemotion 4D. Ali o espectador experimenta uma viagem espacial, pois enquanto passa o filme, as cadeiras se movimentam e óculos dão mais um efeito especial.

Mas como o animado La Bamba não há. “Dá para fazer muita brincadeira legal com todo mundo junto, inclusive Batata-quente, com o agito de música”, conta Érika Meira, sócia-proprietária. “E quando descobrem que podem brincar no Tomo Legal e cair na piscina... nossa! Eles adoram!”, completa.

Durante a festa de Arthur, as 25 crianças presentes brincaram pra valer e os adultos, que somavam cerca de 60, não ficaram de fora. “Os monitores estimulam a participação dos pais. A única limitação é o peso”, explica Érika.

Uma das motivações dos adultos é a atmosfera descontraída que facilita o riso fácil e espontâneo. “Alguns saem falando que se fazem de criança no buffet só para poder brincar”, conta Érika. “Mas, o importante mesmo é poder ficar um pouco com os filhos e curtir a festa. Afinal, é uma hora muito feliz de entrosamento”, conclui.

Ao criar o Parque Temático de Futebol Kick Bola Urbana, no Morumbi, Darryl Kirsh pensava em oferecer para pais e filhos um espaço alternativo, onde todos pudessem participar. “Aqui meninos, meninas, pais, mães, avôs e avós brincam”, garante Darryl.

E foi pensando em envolver todos os convidados que Laércio Akiro Venozo – Kiro - contratou o espaço para realizar a festa do filho, Gregory, oito anos. O tema da festa não podia ser outro: futebol. Durante todo o evento aconteceram jogos com bola.

Nas festas de aniversário são promovidos torneios de pais e filhos; torneio só dos pais; e o engraçado jogo entre mães e pais, quando elas jogam de tênis e eles de salto alto. Nestes dois últimos jogos, as crianças não ficam de fora. Elas fazem uma animada torcida com todos os apetrechos necessários e orientação dos monitores.

Entretanto, as mães gostam mesmo é de experimentar suas habilidades no brinquedo chamado Janela da Vizinha, onde o aparelho mede a velocidade do chute de cada um. Também o Futeboliche chama a atenção das mulheres. “É uma espécie de minigolfe, mas usa-se o pé no lugar do taco”, explica Darryl.

De acordo com Kiro, Gregory se deliciou com o jogo de futebol no escuro e ficou superentusiasmado para aprender a jogar o Futvôlei. “Eu já estava ensinando meu filho a jogar na praia”, conta o pai orgulhoso.

Tudo ocorre num clima de descontração total. No final da festa é entregue o Troféu Bola Furada.

Até a hora do parabéns é diferente: os pais sentam com os filhos e dão uma entrevista coletiva, como craques da bola. Para quem chega desprevenido ao local, há camisas de jogo para permitir que se entre no clima.

 

 

 

 

 

“O local e a amizade criaram condições para todo mundo brincar junto!”,

Isaceles Vidal Lima

 

“Aos 75 anos, a avó andou pela primeira vez de Barco Vicking!”,

Ana Paula Alves da Silva

 

“Os convidados relatam que voltam a ser criança a ponto de se sentirem não pais, mas amiguinhos dos filhos”,

Caren Belluco

 

“Quando os pais estão junto, as crianças se sentem mais seguras”,

Wellinton Barbosa de Lacerda

 

“Foi superdiferente, interativo, todo mundo brincou!”

Laércio Akihiro Vezono

 

 

BATIZADO COM FESTA CAPRICHADA

 

O Batismo é um rito de passagem para a iniciação cristã. Nesta data, família e amigos se reúnem para celebrar o renascimento da criança para essa nova vida. A ocasião merece, sem dúvida, uma comemoração especial. Por isso, a festa - em casa ou no buffet infantil – é feita com capricho.

 

BATISMO E ANIVERSÁRIO

 

Claudia Passarelli e Ana Isabel Tironi prepararam um ambiente singular no La Luna, na Cidade Jardim, para a festa de um ano junto com o batizado de uma menina. O tema borboleta ganhou decoração com flores naturais – rosas, hortênsias brancas e orquídeas –, que compuseram uma atmosfera delicada sobre o tom verde-maçã nos detalhes.

As decoradoras criaram dois louges no La Luna e transformaram o salão localizado na entrada numa capela, com cadeiras brancas e um altar com a pia batismal, onde o padre - amigo da família - realizou a cerimônia. Almofadas deixaram os assentos mais confortáveis e um laço rosa em cada cadeira deu o toque feminino no ambiente.

Do outro lado do espaço foi montada a mesa de lembrancinhas. Para os adultos, uma caixa de madeira forrada na cor verde-maçã. A borboleta na tampa carregava os agradecimentos, o nome da criança e a data. Dentro de cada recipiente havia uma grande vela quadrada branca.

As crianças tiveram também lembrancinhas separadas. As mais novas recebiam a caixinha com um kit de massinha. Verde-maçã para meninos e cor-de-rosa para meninas.

Para as maiores, a caixinha trazia um kit bijoux para as meninas e um kit de montar avião de madeira para meninos.

A festa teve cerca de 200 convidados que, após a cerimônia religiosa de uma hora de duração, foram encaminhados para o jardim, onde foi servido o almoço, preparado por quatro buffets. Todos foram acomodados em lugares determinados, numa das vinte mesas arrumadas com toalhas verde-maçã, pratos e cadeiras brancas.

Também na cobertura externa, a mesa de bolo foi composta. Como a festa somava batizado e aniversário, Nininha Sigrist preparou dois bolos, além de doces decorados. Após o parabéns, uma outra lembrancinha foi oferecida aos convidados: um bem-casado decorado com anjo e borboleta metalizados.

No Magic Place, em Moema, as festas de batizado, geralmente, acontecem junto com o aniversário de um ano. “O espaço é muito grande. Por isso, os pais preferem aproveitar e comemorar junto”, explica Silvana Prado Touma, proprietária.

Ela fala que a opção pela festa em buffet ocorre também pela preocupação com o horário. “Dificilmente a igreja fará uma cerimônia que coincida seu encerramento com o horário de almoço. Aqui, indicamos o padre e os pais escolhem a hora que achar mais adequada”, garante. Além disso, o buffet oferece outra vantagem para quem comemora o batizado lá: uma hora a mais de festa mais meia-hora de tolerância.

A decoração varia de acordo com o gosto do cliente. Segundo Silvana, na maioria das festas a mãe opta pelo altar montado sobre uma mesa decorada com toalha e um arco de balões atrás. Tudo branco. “Aí entra o gosto do cliente. Algumas querem algo clean, apenas com dois castiçais, velas acesas, pia batismal e a jarra de cristal”, diz. Tudo pode ser personalizado. “A pia, por exemplo, pode ser dourada, prateada ou de vidro transparente”, completa. Silvana conta que as celebrações de batismo são mais afetivas e íntimas. Assim, os pais convidam os mais próximos para participar. Após 40 minutos de cerimônia, o salão assume outra alegria e o aniversário começa.

Na comemoração de um ano e batizado de Beatriz, filha de Roberta Borelli Durand, o altar e a mesa foram colocados bem próximos. Mas nem sempre é assim. “A maioria prefere fazer a cerimônia na Sala dos Pais”, lembra Silvana.

Outro ponto diferente da festa de Beatriz foi a mesa de bolo em união com a mesa de batizado decorada pelo próprio buffet no tema Bonecas. Dois bolos lembravam a dupla felicidade da festa.

 

 

 

BATISMO DE IRMÃOS E ANIVERSÁRIO

 

Uma só festa para comemorar aniversário de um ano e batizado dos dois filhos. Essa foi a idéia de Gisele, mãe de Felipe, três anos, e de Lucas, um ano. O local escolhido foi o Magic Blue, em Moema. Para a celebração religiosa foram convidadas apenas 20 pessoas. “É algo mais familiar. Esse foi um dos motivos que resolvi não fazer na igreja”, explica a mãe.

O salão do buffet foi decorado para o batizado com flores naturais e arranjos de balão, da Guacirema. Um pequeno altar com pia batismal também foi providenciado para o padre - indicado pelo próprio buffet - celebrar o ritual.

Após o batismo de Felipe e Lucas, que começou às 11h, as pessoas foram encaminhadas para a parte de trás do buffet enquanto os outros cem convidados chegavam e o salão era reformulado para o aniversário. “Foi tudo muito rápido e ninguém percebeu”, garante a mãe.

O tema da festa foi Mickey, a mesa decorada, de Mariza Quintana, amparou dois bolos: o de batismo e o de aniversário. Para alegrar as 30 crianças, Gisele contratou a recreação do grupo Carinhas Pintadas. “Eles fizeram tatuagem, pintura de cabelo e muito mais. Foi um sucesso!”, lembra.

Durante a festa, foi servido um almoço à americana, com escalope ao molho madeira, massas, três tipos de molhos e três tipos de saladas. Na hora do parabéns, uma chuva de balões a gás coloriu o momento.

Para os que presenciaram a cerimônia de batizado, a mãe ofereceu como lembrancinha pão de mel e um terço de contas coloridas com smile. Os demais adultos receberam apenas o pão de mel como lembrancinha.

Já as crianças ganharam um kit de pintura com uma cadeirinha e, como a festa foi em junho, complementou o presente com um kit da Copa.

 

SÓ BATISMO

 

Uma comemoração mais intimista, para apenas 35 convidados, foi preparada para o batizado de Eduardo, sete meses. A mãe, Greice Cordiolli, preferiu ter a cerimônia batismal na paróquia para depois receber os amigos e familiares em sua residência. “Não houve missa. Fomos direto da igreja – que fica no final da minha rua - para o salão de festas do prédio onde moro”, conta.

Às 9h30 da manhã foi realizado o ritual de batismo e, às 10h30, todos foram recepcionados com um brunch preparado pelo buffet Fanikito, localizado Vila Nova Conceição, que faz festas no próprio espaço e atende em outros locais. Além de todos os salgados servidos, a mãe também ofereceu vinho branco frisante.

A decoração feita no local seguiu um tom bastante delicado, com flores naturais colorindo e perfumando o salão. A mesa de bolo e doces comestíveis é a novidade do Fanikito. Com um coral formado por 150 anjinhos, cestinhas de crochê com maçãs, pombinhas, capela e o bolo artístico de bem-casado, todos ficaram encantados. “São tantos detalhes que a decoração ficou ainda mais rica e original!”, garante a mãe.

Logo na chegada ao salão de festas, Greice trocou a roupa branca que Eduardo usou na cerimônia por um jeans e uma camisa. Em seguida, ele foi brincar num cantinho para crianças criado por Greice. “Eram poucas, umas dez, de dois a oito anos. Não precisava de muitos brinquedos”, lembra. No espaço infantil montado sobre um tapete de letras e puffs, ambos coloridos, Greice colocou uma TV com DVD para distrair os pequenos com desenho animado e jogos de montar.

A manhã passou alegre e descontraída para todos. Antes da festa chegar ao fim, Greice serviu aos convidados crepe e vinho gelado. Em seguida, cortaram o bolo de batizado de Eduardo. Como lembrancinha os convidados ganharam uma caixinha com a foto do menino. Dentro dela havia um terço de cristal e uma trufa. A criação foi da Érika Lembrancinhas. Os convites em forma de pezinhos são da Santa Festa.

 

 

 

 

FESTA DO PIJAMA

 

Que delícia começar bem o dia! Ainda mais se for com festa. Um bom café da manhã com os amigos é uma possibilidade oferecida por muitos buffets infantis e sucesso garantido, tanto para o aniversariante quanto para os pais. A opção permite ousadia: sair da cama e ir direto, de pijama ou camisola! Não foi a escolha dos nossos entrevistados, mas a dica já está valendo!

Os irmãos Amanda, sete anos, e Rodrigo, cinco anos, sempre comemoraram o aniversário juntos. A novidade este ano foi terem festejado com os colegas em pleno café da manhã."Facilita tudo!”, revela a mãe Elzamaria Henriques.

A festa começou cedo, no Espaço Pindorama, no Itaim. As crianças chegaram pouco a pouco e tinham à disposição uma mesa com tudo o que mais gostam de comer ao acordar. Cada irmão teve uma mesa decorada pelo próprio buffet. Ela, Fadinha; ele, Super-homem. Eles também ganharam um bolo diferente para o parabéns: Amanda preferiu de chocolate e Rodrigo, de frutas.

Esse foi um aniversário com uma proposta bem diferente, inclusive no que diz respeito ao local. O Espaço Pindorama foi totalmente pensado e construído para atender a singularidade de cada família num ambiente que remonta ao quintal da casa da avó. Em meio a natureza, as crianças deixam rolar a imaginação explorando todas as possibilidades: brinquedão, escorregador, arvorismo e Casinha do Faz-de-conta.

Nesse ambiente, o café da manhã pode ser ainda mais gostoso. Mas as crianças têm energia e os quitutes se multiplicam. Por volta das 10h, os salgadinhos começaram a ser servidos de lanche. Muita brincadeira depois e todos almoçaram uma bela macarronada com vários tipos de molho.

Dali, as crianças foram direto para a escola de ônibus, contratado pela mãe. Ou seja, a festa garantida do comecinho até o final: a chegada no colégio. Tudo foi registrado em foto, por Renata Perlman, da Petit Pois Foto, e em vídeo, por Solange Del Pozzo.

A idéia do café da manhã no buffet Oceano I surgiu quando as mães Gisele Askenazy, de Beatriz, seis anos, e Patricia Tsukamoto, de Isabella, seis anos, quiseram experimentar algo que poderia ser muito legal: com as crianças bem dispostas proporcionar horas de brincadeiras e depois irem à escola juntas. “Foi a primeira experiência do buffet. Eles arrasaram!”, conta Gisele.

A festa começou às 9h. Conforme as crianças chegavam, elas já começavam a brincar nas gincanas promovidas pelos monitores do próprio buffet. Duas mesas foram montadas: uma, mais alta, para os adultos, e outra, na altura dos pequenos. Assim cada um pode se servir sozinho de tudo de gostoso: bisnaguinha com requeijão, suco, pãozinho com manteiga, banana com maçã e outros quitutes que os pequenos adoram. Por volta das 10h30, começaram a ser servidos salgadinhos, como pastel e minipizza. E, mais tarde um pouco, perto das 12h, as crianças também almoçaram. A mesa de Os Incríveis, decorada por Mariza Quintana, tinha dois bolos: um para Isabella e outro para Beatriz.

Como as aniversariantes estudam na mesma sala, os convidados também são da mesma escola e todos estudam à tarde, as mães tomaram várias providências. Primeiro avisaram no convite que a festa teria café, almoço e um ônibus para transporte dos pequenos até a escola. “Ninguém está acostumado com esse horário para festa, por isso achamos importante ressaltar”, explica Patrícia. Também pediram para que as crianças fossem para o buffet já com o uniforme do colégio.

Como lembrancinha deste dia especial, em junho, as mães escolheram um assunto atual ao invés do tema da festa: uma bolsa tematizada de Copa. “Foi ótimo!”, finaliza.

A unidade de Osasco do buffet Fábrica da Alegria foi a eleita entre as oito distribuídas pela capital por Neusa Barros para comemorar o aniversário da filha Anna Paula, seis anos, com um recheado café da manhã. “Queria uma festa diferente para que todos os coleguinhas da Anna pudessem participar sem interferir no horário de aula”, explica Neusa, cuja filha estuda à tarde.

O hábito de festejar pela manhã ainda é menor do que a procura por festas escolares, que ocorrem no período vespertino. “Durante esse ano fizemos oito”, diz Marcelo Meira, sócio-proprietário junto com Paula Meira.

Mesmo assim, a proposta parece agradar quem experimenta. “Valeu muito a pena!”, garante Neusa. “As crianças comeram e brincaram muito e não perderam nada de aula”, completa.

A comemoração começou às 9h. Os pais levaram seus filhos até o buffet – alguns já com uniforme, outros trocaram antes de ir para a escola. Os 25 convidados eram colegas de classe ou vizinhos de Anna. Os únicos adultos da festa foram os pais, a avó e duas mães.

Neusa contratou covers dos Rebeldes – tema da festa - para divertir ainda mais a criançada. Ela também dedicou atenção especial ao cardápio. Além de sucos, leite, achocolatado, minipão francês, bisnaguinhas, torradas, bolachas doces e salgadas, geléia, frios, manteiga e mel, a mãe fez questão que tivesse sucrilhos e frutas – preferência de Anna. Tudo foi disposto numa mesa e servido por uma copeira. “Assim, as crianças eram auxiliadas a se servir e evitava acidentes”, diz.

Mais tarde foram servidos refrigerante, bolinha de queijo e coxinha para preparar o paladar para o almoço, servido às 11h30: espaguete ao sugo. Qual criança não gosta?

Depois de três horas de diversão, uma van contratada pela mãe levou as crianças para a aula. O Fábrica da Alegria disponi-bilizou uma monitora para acompanhar os pequenos. Assim, as crianças curtiram a festa até chegar na escola.

 

 

 

 

 

OFICINAS PARA BRINCAR E COMER

 

Além de brinquedos, gincanas e shows, um jeito diferente e muito gostoso de entreter as crianças durante a festa é contratar uma oficina de culinária. Nela os pequenos aprendem mais sobre higiene e organização e ainda desenvolvem a percepção olfativa, visual e tátil.

Pizza, pão, biscoitos, bolos e até pirulitos são receitas fáceis de aprender mesmo que seja apenas para decorar. As dinâmicas podem deixar a festa superdivertida e tudo o que é preparado pelos pequenos chefs pode ser saboreado na hora ou virar saborosas e bonitas lembrancinhas.

 

SALGADOS

 

A Brincarte atua com o público infantil desde 1982 e oferece oficinas de cookies e de pizzas. A equipe de monitores vai até a festa e prepara todo o ambiente para receber as crianças numa verdadeira cozinha, com forno e mesas da altura ideal das crianças para que elas possam preparar o prato.

Marta Genta, mãe de Isabel, 10 anos, e Tereza, 12 anos, conta que conhece bem os serviços da Brincarte e sempre os contrata para a festa das filhas desde que elas eram bem pequenas.

Geralmente, as comemorações de suas filhas começam após a aula. “Elas chegam da escola com fome e já encontram tudo pronto para brincar e comer”, diz.

Na última festa de Isabel, Marta optou pela oficina de pizza. O pizzaiolo e os monitores orientaram as crianças a lavar as mãos e a se paramentar para cozinhar, com chapéu de mestre-cuca e avental.

Mais do que abrir a massa, os pequenos brincam mesmo com os ingredientes. “Eles faziam desenho com as bisnagas de catupiry”, lembra a mãe. “Algumas crianças fizeram até desenho na massa!”, completa.

Para Marta, a orientação dos monitores da Brincarte é fundamental. “Tem os gulosos que enchem a pizza de ingredientes. Então eles são orientados para evitar que fique ruim e até o desperdício”, fala.

As 30 crianças brincaram a festa inteira, mas o auge da oficina foi na primeira hora. As redondas ficam prontas, com ajuda do pizzaiolo – no comando do forno – e já saem comendo!

As oficinas culinárias do Bem-me-quer Sports são desenvolvidas no próprio espaço. A mãe pode optar pela de pizza, pão e a de confeiteiro – quando as crianças decoram os bolos. Todo o processo é feito no melhor estilo gourmet: todos de avental.

Para a Oficina do Pizzaiolo, a massa é semi-pronta, mas os pequenos aprendem passo a passo os segredos do prato. “Elas abrem a massa e montam a pizza com as diversas opções de recheio que disponibilizamos sobre a mesa”, conta Regina Maria Peçanha, sócia-proprietária do Bem-me-quer, com Ana Lucia Mancini.

Cada criança faz uma redonda tamanho brotinho. Depois de pronta ela pode ser embalada numa caixinha com o nome da criança que fez, mas nem sempre isso acontece. “A atividade é tão estimulante que geralmente as pizzas são comidas na mesma hora!”, revela Regina.

De acordo com a proprietária, essa oficina tem a duração de 45 minutos a uma hora e pode ser feita por crianças de quatro a 12 anos. “Meninas preferem brincar de cozinhar”, diz.

 

 

DOCES

 

A Vickyboom ensina a criançada a decorar bolos. Cada oficina pode atender cerca de 60 crianças – meninas e meninos, de três a oito anos - divididas em grupos de quinze. Enquanto a festa rola, a criança experimenta moldar pasta americana, glacê e fondand para decorar os bolinhos, que podem ser de chocolate, frapê ou pão de mel.

Para facilitar o processo, a pasta americana é entregue pré-cortada e os bolos estão prontos. Desta forma, em quinze minutos cada um sai dali com sua iguaria personalizada. Depois de quatro horas de festa, todos já botaram a mão na massa, mas dificilmente levam a obra de arte para casa. “Eles comem ali mesmo!”, conta Vicky Reibscheid, proprietária.

O Atelier Gourmand, no Jardins, é especializado em aulas de culinária e faz festas na própria cozinha para crianças entre cinco e 12 anos e, em alguns casos, crianças menores, desde que com a presença dos pais ou babás.

Agora, o Atelier também leva alguns mini-cursos a aniversários e eventos fora dali. “Fazemos oficinas externas de decoração de Minibolo, Cup Cakes Divertidos, Pirulito de pão de mel e decoração de Biscoitos”, conta Cristina Paulo, coordenadora de eventos.

Antes de tudo, as crianças aprendem noções básicas de higiene, lavam as mãos e conhecem o material que será utilizado na confecção da receita. Então, a chef ensina detalhadamente o procedimento para a criança decorar bolinho, cup cake, biscoito ou pão de mel.

Como o Atelier Gourmand atende em diversos espaços, a variação do número de pequenos atendidos é grande. “Cada espaço é um espaço e cada cliente, uma cliente. Nos adequamos e podemos atender de dez a 1.500 crianças”, conta. A duração das oficinas também varia de uma hora até, no máximo, um dia inteiro.

Há 24 anos criando oficinas infantis de diversos temas, Tia Vera agora também oferece oficinas de Pirulito. Para começar a farra, o espaço é montado com mesas e cadeiras e delimitado para ter melhor controle das crianças. Depois todas são paramentadas com chapéu, avental e luvas.

O pirulito de chocolate é levado pronto. A oficina ensina a decorar de forma personalizada cada doce. Para isso, Tia Vera leva uma base no formato do pirulito onde o tema será desenhado e pintado com tinta comestível. “Essa base é parecida com uma hóstia só que feita de açúcar que depois de pronta é colada com chocolate no pirulito”, diz Vera Elias, proprietária. “Não é preciso ficar preso à fôrma. Há possibilidade de fazer inúmeras criações”, completa.

Tia Vera fica durante a festa toda ou até acabar o número de pirulitos definido pelos pais. Para cada grupo de 15, duas monitoras ficam disponíveis.

De acordo com Vera, a procura por essa oficina é para atender meninos e meninas a partir dos três anos. E está dando tão certo que ela já p ensa em lançar em breve mais uma oficina diferente: a de jujuba.

 

 

PARCEIROS DE DIVERSÃO

 

Uma saudável parceria nasceu entre buffets infantis e empresas de recreação. Com ela, todos ficam tranqüilos na hora de brincar: os pais – que têm a garantia de profissionais reconhecidamente qualificados; e especialmente as crianças – que se divertem pra valer!

O entretenimento muda de acordo com o perfil e é personalizado também conforme a idade das crianças. No buffet Comics, no Morumbi, não vale improvisar. “Combinamos tudo o que será feito antes da festa”, conta Dani Lan, proprietário do buffet, que tem parceria com o pessoal do Tchurminha Nossa.

Desde 1989 realizando trabalhos de entretenimento, a equipe do Tchurminha Nossa é dirigida pelo Educador Físico e Fisioterapeuta Marcus Vinicius Valenza “Nenê”. Com mais de 50 jogos diferentes, as crianças brincam exercitando coordenação motora, comportamento e essencialmente se divertindo.

A parceria entre o Comics e o Tchurminha Nossa está selada desde 2002. “Eles vêm com o know how e nós com os equipamentos necessários”, explica Dani. Ou seja, cenário para teatro de fantoches, TV de plasma e tudo o mais que a equipe precisar para desenvolver seus trabalhos é por conta do buffet. Inclusive o espaço da recreação é sempre o mesmo. “Não temos nada improvisado. É tudo planejado”, garante Dani.

Gincanas, brinquedos, oficinas e muita diversão é o trabalho do Curumim – Animações e Eventos, que tem parceria com o buffet Magia e Cia, no Itaim Bibi. Há oito anos no mercado, a empresa desenvolve atividades que proporcionam a integração entre os participantes.

“Quem faz a festa aqui no Magia e Cia pode contar com DJ e recreação do Curumim”, conta Maruza Helena Pessoa, proprietária do buffet. “As festas escolares sempre têm os recreadores do Curumim, nas outras a mãe pode optar”, explica.

Para Maruza, existem muitas vantagens em manter a parceria. “O retorno é muito grande! As crianças são apaixonadas pelo “tio”, e a animação envolve crianças e adultos, como na dança dos pais com música anos 60 e 70”, conta.

Para quem quer contratar o grupo, é possível inclusive pedir por um recreador específico. “Só mesmo quem comemora aniversário de um ano é que, às vezes, dispensa o trabalho de recreação por não ter tanta criança na festa”, diz Maruza. “Mas quem conhece o grupo acha o máximo e sempre quer!”, completa.

O Pura Folia, no Morumbi, tem parceria com várias empresas de recreação. “Depende da faixa etária e do que a mãe espera”, conta Anna Spalicci, proprietária.

Para crianças de um a três anos, o buffet sugere o teatro da Melly Melly. As histórias contadas nos shows dos bonecos são sempre renovadas de acordo com os lançamentos da indústria cinematográfica.

O palhaço Rabanete é a opção para crianças de quatro a seis anos. Há 35 anos, ele leva graça e ingenuidade para os pequenos. A palhaçada é uma forma de fazer mágica em seu show, que também tem piadas infantis contadas com ajuda de bonecos ventríloquos.

De seis a oito anos, quem faz a folia é o Só Alegria. Com 12 anos de experiência, o grupo anima a festa com gincanas e balada que fazem grande sucesso entre as crianças.

O teatrinho do Tutti Hortelã Fruti também pode ser uma boa opção para crianças de quatro e cinco anos. Desde 1986 o grupo atua na área do entretenimento. No Pura Folia, eles contam histórias de diversos temas.

O parceiro curinga, que serve para todas as idades, é o minizoo do Caramelo & Estrelinha. A mamãe coelho com seus coelhinos, a galinha com seus pintinhos, pombos e uma pata com seus patinhos, filhotes de poodles e periquitos. O minizoo encanta crianças e adultos, que podem acariciar os animais e alimentá-los.

“Todas as recreações estão incluídas no pacote”, explica Anna. A idéia das parcerias surgiu em 2002 para facilitar a vida da mãe e oferecer recreação de qualidade com profissionais especializados.

A experiência deu tão certo que o buffet quer ampliar o leque de opções e já anuncia novos contratos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar para arquivo